quinta-feira, 19 de junho de 2014

O que fazer em Chiclayo


Chiclayo não é a cidade mais visitada do norte do Peru e é mais fácil conhecer alguém que já tenha ido à Cajamarca ou a Trujillo. Afinal de contas, por que ela entrou na minha viagem? E o que fazer lá?

Museu Tumbas Reais de Sipán 
Esse é o museu que todo mundo quer conhecer. O Tumba Reales de Sipán é lindo, as peças estão bem expostas, as salas são climatizadas (sem que se morra de frio lá dentro), mas infelizmente é proibido fazer fotos de sua coleção: a entrada com máquinas fotográficas ou celulares não é permitida. A bolsa ou a mochila tem que ficar em um guarda volumes; entrei somente com a minha carteira. 
O senhor de Sipán foi um alto governante do século III provavelmente da cultura mochica. Sua tumba foi descoberta em 1987 e é considerada a mais importante descoberta arqueológica peruana dos últimos 50 anos. Os achados mais importantes deram origem a coleção do museu que foi inaugurado em 2002.
No final da visita fiquei com vontade de comprar alguma lembrança, mas a lojinha do museu era bem fraquinha. 
Aqui é possível ver um vídeo do interior do museu.

Museu do Sítio Huaca Rajada - Sipán


O Museo de Sítio Huaca Rajada - Sipán complementa a visita feita ao museu Tumbas Reais. Há belíssimas peças da civilização moche (também chamada de cultura mochica ou chimu precoce). É possível fazer fotos das peças sem flash.

Sítio Arqueológico Túcume


O complexo de Túcume, localizado a 33 km ao norte de Chiclayo,  é considerado um dos sítios arqueológicos pré-hispânicos mais importantes do norte do Peru. Acredita-se que ele teve origem com a cultura Lambayeque por volta de 1.000 a 1.100 d.C. As escavações do sítio começaram no final da década de 80 do século passado com o apoio de Thor Heyerdahl, um importante explorador norueguês.
As 26 pirâmides encontradas em Túcume foram feitas de adobe e não possuem o formato pontiagudo das pirâmides egípcias. O vídeo abaixo  mostra uma reconstrução do sítio.



Museu Arqueológico Nacional Brüning
O museu é rico em cerâmicas moche e vários artefatos encontrados em sítios arqueológicos da região. 
Infelizmente, o museu não estava muito bem conservado na época em que o visitei (fevereiro/13). Brüning não possui ar condicionado e algumas peças poderiam estar melhor expostas, isto é, em vitrines mais bem elaboradas e com iluminação adequada. Fiquei com a sensação de que colocaram todo o dinheiro no Tumbas Reales e deixaram Brüning de lado! Apesar disso, se estiver em Chiclayo, não deixe visitá-lo.
Pode-se fotografar sem flash.

Como chegar
Peguei excursões para fazer esses passeios. No primeiro dia (domingo) fiz o Sítio Arqueológico de Túcume (também chamado Pirâmides de Túcume), Museu Tumbas Reais de Sipán e Huaca Rajada. Na segunda-feira muita coisa estava fechada e só consegui um passeio para a Huaca Rajada (de novo) e para visitar o Museu Brüning.
Há sempre a possibilidade de se pegar um tour privado, mas como eu estava sozinha, optei por ir em grupo.

Dicas importantes:
1. Há uma "oficina de turismo" na praça central de Chiclayo, mas não pense que ela está ligada à prefeitura. Ela é mantida por uma agência de turismo que vende os passeios. Quem já viajou pelo país sabe que costuma ser assim.
2. Não adianta fazer muita pesquisa, não há tantas opções e os preços são tabelados. Em fevereiro/13 os passeios custavam de 35 a 50 soles (cerca de US$ 12 a 18)  , sem contar os ingressos para os museus (de 8 a 10 soles)
3. Os passeios começam tarde, saem por volta de 10:00/ 10:30. Se por um lado é ótimo para dormir um pouco mais e tomar o café da manhã com calma, por outro é péssimo quando se tem que caminhar com o sol a pino. Leve água e protetor solar.
4. Os passeios são feitos em vans que costumam ir lotadas. No primeiro dia, a van estava tão cheia de passageiros que a guia veio espremida em um banquinho improvisado atrás da 1a fileira de bancos. Esqueça o cinto de segurança.
5. As estradas se encontravam em péssimas condições; um trajeto curto demorou muito mais tempo do que o previsto, pois o motorista precisou desviar de verdadeiras crateras! A estrada estava tão ruim que várias vezes chegamos a invadir a pista contrária.
6. As vans tem ar condicionado, só que ele fica desligado! Os meus pedidos para que o ar condicionado fosse ligado foram gentilmente ignorados.
7. Evite a cidade em uma segunda-feira, quase não há o que fazer! Queria ter voltado ao Tumbas Reais, porém o museu fecha às segundas.
Apesar da dificuldade de acesso, recomendo os passeios!

Todos os posts das minhas viagens para o Peru estão organizados aqui
Fotos de Lu Malheiros

0 comentários:

Postar um comentário