domingo, 10 de agosto de 2014

12 dicas para usar bem o metrô da Cidade do México

1. O preço é excelente, 5 pesos (cerca de US$0,40 ou menos de R$1!) independente da distância percorrida. Dá para comprar um cartão magnético nas bilheterias por 10 pesos e carregar com um valor para múltiplas viagens. É bastante prático para quem pretende usar muito o metrô (eu!), pois evita filas. Não há caixas automáticos para compra/recarga de cartão.
2. A rede do metrô é ótima e te leva para quase todos os lugares turísticos que você quer visitar.
3. Apesar da ótima rede e do preço, as estações são bem simples. A maioria das composições não tem refrigeração e, mesmo no inverno, faz um calor danado lá dentro!
4. Em muitas estações não há escadas rolantes. Às vezes, nem para subir... Elevador é coisa raríssima. Vi na estação Centro Médico :-)
5. Toda a estação tem um logotipo que a identifica. Ajuda bastante. A que encabeça o post é do metrô Polanco.
6. Há vendedores nos vagões. Vende-se desde livro de eletrônica até brinquedo de criança. Às vezes, há música ao vivo ou uma pessoa com um gravador e uma caixa de som tocando antigas canções e pedindo dinheiro. Ou ainda vendendo um CD caseiro.
7. O metrô fica lotado no horário de rush (7h às 9h30 e de 18h às 20h30), nesse horário não há vendedores nem músicos nos vagões por absoluta falta de espaço. Evite.
8. Na hora do rush, os dois primeiros vagões da composição são destinados à mulheres e crianças menores de 12 anos. Normalmente, eles colocam uma barreira laranja na plataforma e um guardinha fica controlando o acesso das pessoas à área específica. Preferi usar esses vagões inclusive fora do horário do rush.
9. Dá para ir de/para o aeroporto de metrô, mas só recomendo a aventura se você estiver com pouquíssima bagagem e não for hora do rush. Não conte com escadas rolantes.
10. Aviso importante para os mais desatentos: na maioria dos vagões não há letreiro indicando a próxima estação e nem chamada auditiva. Leve um mapa do metrô. Há mapas das linhas nos vagões, mas peguei algumas composições que tinham o mapa de outra linha, não da linha em que eu estava!
11. Por falar em mapa do metrô, o que me deram no quiosque de atendimento ao turista na praça Zócalo era bem ruim! Não dava para localizar bem as linhas e as estações.
12. Por último, em questão de segurança, tome as mesmas precauções que tomaria no metrô brasileiro. Meninas que viajam sozinhas: achei o assédio um tantinho pior que no Brasil. Nada que impeça de usar o metrô, mas evite o horário do rush e se não tiver jeito embarque nos vagões exclusivos para mulheres.
Veja também o post do Sunday Cooks sobre o metrô mexicano aqui.
Foto by Lu Malheiros

0 comentários:

Postar um comentário